SR-1
CEG

FORMULÁRIO CEG-03
Disciplina

CENTRO: DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
UNIDADE: INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS

Folha n0:
Data: 04/03/1997

1 – NOME

2 – CÓDIGO

3 – IDENTIFICAÇÃO

FARMACOLOGIA A

BMF228

 

4 – Carga Horária por Período:

5 – CRÉDITOS:

6 – REQUISITOS:

T: 30                      P: 60                         T + P: 90

4,0

BMQ121 (P)     BMB121 (P)      FMP214 (P)

7 – CARACTERÍSTICAS DAS AULAS PRÁTICAS:

Farmacocinética. Interação droga-receptor. Psicofarmacologia. Farmacologia da dor digestiva e respiratória; farmacologia penal e cardiovascular. Anestésicos, endócrinos e autocóide. Anticoagulante e antibióticos.

8 – CURSOS PARA OS QUAIS É OFERECIDA:

ENFERMAGEM E OBSTETRÍCIA

9 – OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA:

Capacitar o aluno para entender o papel da farmacocinética na resposta aos medicamentos. Entender as interações medicamentosas e reações adversas induzidas pelos medicamentos. Entender os efeitos dos principais grupos de medicamentos.

10 – EMENTA:

Farmacologia geral, aminas simpaticomiméticas. Anestésicos pocais. Antistamínicos. Farmacologia do sangue. Introdução à farmacologia cardíaca. Farmacologia da dor. Ansiolíticos e tranqüilizantes, antibióticos e quimioterápicos. Corticosteróides. Introdução aos anestésicos gerais. Farmacologia dos antissépticos e desinfetantes.

11 – BIBLIOGRAFIA:

RATZUNG. Farmacologia Clínica Básica. 3a ed. RJ: Guanabara Koogan, 1988.


SR-1
CEG

FORMULÁRIO CEG-03
Disciplina

CENTRO: DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
UNIDADE: ESCOLA DE ENFERMAGEM ANNA NERY

Folha n0:
Data: 04/03/1997

1 – NOME

2 – CÓDIGO

3 – IDENTIFICAÇÃO

GINECO-OBSTETRÍCIA

ENI241

 

4 – Carga Horária por Período:

5 – CRÉDITOS:

6 – REQUISITOS:

T: 15                      P: 00                         T + P: 15

1,0

 

7 – CARACTERÍSTICAS DAS AULAS PRÁTICAS:

Aulas expositivas e teórico-práticas, demonstrações do exame ginecológico com a coleta de material.

8 – CURSOS PARA OS QUAIS É OFERECIDA:

ENFERMAGEM E OBSTETRÍCIA

9 – OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA:

Identificar aspectos patológicos e de prevenção. Realizar exame ginecológico. Desenvolver consulta de enfermagem.

10 – EMENTA:

Gestação de alto risco. Distúrbio de hemocoagulação e choque em obstetrícia. Placenta prévia. Descolamento prematuro de placenta. Mola. Exame ginecológico. Consulta de enfermagem, doença sexualmente transmissíveis.

11 – BIBLIOGRAFIA:

BRASIL, Ministério da Saúde. Controle do câncer cérvico-uterino e de mama. 2a ed. Centro de Documentação. Brasília, 1985.
NERY, Inez Sampaio. Consulta de Enfermagem à Gestante: fatores intervenientes. Tese (Livre Docência) EE Alfredo Pinto/UNIRIO, 1991.


SR-1
CEG

FORMULÁRIO CEG-03
Disciplina

CENTRO: DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
UNIDADE: ESCOLA DE ENFERMAGEM ANNA NERY

Folha n0:
Data: 04/03/1997

1 – NOME

2 – CÓDIGO

3 – IDENTIFICAÇÃO

ENFERMAGEM NOS CUIDADOS BÁSICOS DE SAÚDE

ENW241

 

4 – Carga Horária por Período:

5 – CRÉDITOS:

6 – REQUISITOS:

T: 45                    P: 60                         T + P: 105

5,0

ENW231 (P)     IMW239 (P)      BMP212 (P)       ENW242 (C)

7 – CARACTERÍSTICAS DAS AULAS PRÁTICAS:

Demonstração de técnicas básicas de enfermagem de agentes imunizantes. Visita domiciliar. Cuidados de enfermagem à gestante, puérpera, recém-nascido, lactente, pré-escolar, escolar em nível primário. Demonstração e treinamento de consulta de enfermagem à clientela assistida. Instrução sobre diagnóstico da situação da saúde da comunidade. Grupos de discussão sobre Plano de Intervenção ao nível de Acuidade Sanitária e da Comunidade.

8 – CURSOS PARA OS QUAIS É OFERECIDA:

ENFERMAGEM E OBSTETRÍCIA

9 – OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA:

Identificar as demandas de saúde para a participação em programas de assistência à comunidade. Reconhecer o direito das pessoas e da comunidade de participar dos programas que visam à promoção da saúde. Interpretar para as pessoas, os grupos e a comunidade a importância dos cuidados básicos de saúde. Reconhecer o dever de participar de programa para a mobilização das famílias e da comunidade com vistas ao alcance de um nível ótimo de saúde.

10 – EMENTA:

Política de saúde. Cuidados básicos de saúde. Saúde da comunidade – demandas e serviços assistenciais. Ações de enfermagem em programas de saúde pública. Programa para melhorar o nível de saúde das pessoas e da comunidade. Práticas alternativas de saúde. O enfermeiro face à saúde da população. A história da enfermagem e as políticas sociais no que se refere à saúde pública e a saúde da mulher e da criança.

11 – BIBLIOGRAFIA:

ARCHER, S. e col. Enfermería de la comunidad. OPS/OMS.
BARTRI, W. L. Alma Ata marco de uma nova era em saúde. A Saúde do Mundo, OMS, jul/1979, Revista.
LEAMY & COBB JONES. Enfermería para la salud de la comunidad. México, La Prensa Médica Mexicana, 1980.
LEAVEL & CLARK Medicina Preventiva. Ed. McGraw Hill do Brasil, São Paulo, 1976.
MERHY, Emerson. O Capitalismo e a Saúde Pública. Ed. Murphy, 1985.


SR-1
CEG

FORMULÁRIO CEG-03
Disciplina

CENTRO: DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
UNIDADE: ESCOLA DE ENFERMAGEM ANNA NERY

Folha n0:
Data: 04/03/1997

1 – NOME

2 – CÓDIGO

3 – IDENTIFICAÇÃO

TRABALHO DE CAMPO IV

ENWU04

 

4 – Carga Horária por Período:

5 – CRÉDITOS:

6 – REQUISITOS:

T: 00                    P: 90                         T + P: 90

2,0

ENWU03 (P)    ENWU05 (C)

7 – CARACTERÍSTICAS DAS AULAS PRÁTICAS:

Orientação sobre atendimento aos clientes da Unidade de Saúde. Demonstração sobre consulta de enfermagem em ambulatórios e em situações de comunidade. Instrução sobre atividade de enfermagem relacionada com visita domiciliar. Exercícios sobre prática de vacinação e de procedimentos relacionados com os cuidados básicos de saúde.

8 – CURSOS PARA OS QUAIS É OFERECIDA:

ENFERMAGEM E OBSTETRÍCIA

9 – OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA:

Participar dos programas assistenciais em unidades de saúde e da comunidade. Desenvolver habilidade para o trabalho com a comunidade. Prestar cuidados de enfermagem em ambulatório de Unidade de Saúde, no domicílio e no contexto da comunidade. Ajudar as pessoas, os grupos e a comunidade em suas iniciativas frente aos seus problemas de saúde.

10 – EMENTA:

Programa de trabalho em grupo de clientes da Unidade de Saúde e da comunidade. Prática de consulta de enfermagem. Cuidados de enfermagem em ambulatórios. Visita domiciliar. Palestras envolvendo ações educativas para o autocuidado. Práticas alternativas de saúde. Organização de Postos de Saúde na comunidade.

11 – BIBLIOGRAFIA:

ALMA, Ata. Conferência Internacional de Genebra, 1978.
BRASIL, Ministério da Saúde. Programa Nacional de Imunizações: Manual de Procedimentos para Vacinação. Brasília, 1994.
________________________. Acompanhamento do crescimento e desenvolvimento. Ações básicas na assistência integral à saúde da criança. INAN/INAMPS, 1984.
ESTADO DO RIO DE JANEIRO, SES. Guia de Vigilância Epidemiológica. Rio de Janeiro, 1991.
LEAMY, M. S.; COBB, K. M. & JONES, M. C. Enfermería para la salud de la comunidad. México: La Prensa Médica Mexicana, 1987.


SR-1
CEG

FORMULÁRIO CEG-03
Disciplina

CENTRO: DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
UNIDADE: ESCOLA DE ENFERMAGEM ANNA NERY

Folha n0:
Data: 04/03/1997

1 – NOME

2 – CÓDIGO

3 – IDENTIFICAÇÃO

DIAGNÓSTICO SIMPLIFICADO DE SAÚDE IV

ENWX04

 

4 – Carga Horária por Período:

5 – CRÉDITOS:

6 – REQUISITOS:

Variável – mínimo de 30 horas

0,0

ENWX03 (P)    ENWX05 (C)

7 – CARACTERÍSTICAS DAS AULAS PRÁTICAS:

Discussão em grupo sobre a aplicação da metodologia científica no estudo de problemas da situação de saúde da comunidade assistida. Instrução sobre critérios na escolha de métodos e instrumentos, orientação sobre quadro e esquema de referência. Instrução sobre objetivos como instrumentos de trabalho e relevância dos estudos e da diversificação na enfermagem.

8 – CURSOS PARA OS QUAIS É OFERECIDA:

ENFERMAGEM E OBSTETRÍCIA

9 – OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA:

Adquirir conhecimentos para investigação de problemas de saúde da comunidade. Desenvolver habilidade na identificação da metodologia de estudos de enfermagem. Discutir em grupo as dificuldades do estudo ou da pesquisa em causa. Interpretar os resultados no relatório a ser apresentado. Apresentar proposta de solução em sugestão de encaminhamento.

10 – EMENTA:

Diagnóstico de saúde da comunidade. Identificação de problemas para o estudo. Diferencial e estrutura. Relevância do tema. Comprovação de práticas de saúde dos objetivos e fases do trabalho científico. Da importância de se contribuir com estudos para o progresso do grupo profissional.

11 – BIBLIOGRAFIA:

MINAYO, M. C. S.; DESLANDES, S.F. & NETO, O. C. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis, RJ, Vozes, 1994.
LUDKE, M. & ANDRÉ, E. D. A. A. Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: Ed. Pedagógica e Universidade Ltda., 1986.


SR-1
CEG

FORMULÁRIO CEG-03
Disciplina

CENTRO: DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
UNIDADE: ESCOLA DE ENFERMAGEM ANNA NERY

Folha n0:
Data: 04/03/1997

1 – NOME

2 – CÓDIGO

3 – IDENTIFICAÇÃO

CUIDADOS DE ENFERMAGEM À FAMÍLIA EXPECTANTE

ENW242

 

4 – Carga Horária por Período:

5 – CRÉDITOS:

6 – REQUISITOS:

T: 45                    P: 60                         T + P: 105

5,0

IMW235 (P)       BMP212 (P)       ENW231 (P)       ENW241 (C)

7 – CARACTERÍSTICAS DAS AULAS PRÁTICAS:

Instrução sobre programa de trabalho para população materno-infantil institucionalizada ou não. Demonstração de cuidados de enfermagem a gestantes, parturientes, puérperas e recém-natos em unidades de saúde. Orientação sobre implementação de prescrições de enfermagem no período perinatal em situações de menor e média complexidade. Instrução sobre avaliação de cuidados e da ajuda prestada.

8 – CURSOS PARA OS QUAIS É OFERECIDA:

ENFERMAGEM E OBSTETRÍCIA

9 – OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA:

Analisar a demanda de saúde da população materno-infantil para determinação de prioridades. Reconhecer os direitos dos clientes em unidades obstétrica e neonatal e no lar, a um atendimento compatível com suas necessidades e de acordo com padrões assistenciais satisfatórios. Participação da orientação de clientes em suas iniciativas frente a seus problemas de saúde, instruindo sobre o autocuidado e o aleitamento materno. Prestar cuidados a clientes e seus familiares, desenvolvendo o processo de enfermagem.

10 – EMENTA:

Demandas de saúde e prioridades à população materno-infantil. Família – núcleo do desenvolvimento humano. Características anatomo-fisiológicas da gestante, parturiente, puérpera e recém-nato. Cuidados de enfermagem em unidades pré-natais, obstétricas e neonatais, extensivos à comunidade.

11 – BIBLIOGRAFIA:

BRUNNER, L. S. Prática de Enfermagem. 3a edição. Ed. Koogan, 1987.
CAMPESTRINI, S. Alojamento conjunto e incentivo à amamentação. Ed. Universitária Católica do Paraná, 1983.
OEVISSO, T. A responsabilidade legal do enfermeiro. Revista Brasileira de Enfermagem. V. 38, abril/junho, 1985.
ZIEGEL, E. e C. Enfermagem Obstétrica. 7a edição. Rio de Janeiro, Ed. Interamericana, 1980.


SR-1
CEG

FORMULÁRIO CEG-03
Disciplina

CENTRO: DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
UNIDADE: ESCOLA DE ENFERMAGEM ANNA NERY

Folha n0:
Data: 04/03/1997

1 – NOME

2 – CÓDIGO

3 – IDENTIFICAÇÃO

TRABALHO DE CAMPO V

ENWU05

 

4 – Carga Horária por Período:

5 – CRÉDITOS:

6 – REQUISITOS:

T: 00                    P: 90                         T + P: 90

2,0

ENWU03 (P)     BMH191 (P)      IBG126 (P)       ENWU04 (C)

7 – CARACTERÍSTICAS DAS AULAS PRÁTICAS:

Orientação e supervisão sobre o atendimento de gestantes, parturientes, puérperas e recém-natos. Instrução sobre cuidados de enfermagem requeridos para população alvo em unidades de saúde ou na comunidade em situações de menor e média complexidade. Exercícios sobre consulta de enfermagem em ambulatório pré-natal e neonatal, enfatizando os cuidados básicos de saúde.

8 – CURSOS PARA OS QUAIS É OFERECIDA:

ENFERMAGEM E OBSTETRÍCIA

9 – OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA:

Desenvolver habilidades para: prestar cuidados de enfermagem à mulher no ciclo grávido-puerperal e intergestacional e ao recém-nato, em situações de menor e média complexidade; atender a consultas de enfermagem pré-natal; participar de programas de assistência materno-infantil, definindo as ações específicas de enfermagem, estabelecendo atividades prioritárias face à situação de saúde da população alvo.

10 – EMENTA:

Prestação de cuidados de enfermagem em unidades de saúde ou não, tendo em vista a mulher no pré, trans e pós-natal e recém-natos em níveis de menor e média complexidade. Exercício de habilidade e competência com ações educativas dirigidas à família, com ênfase no grupo materno-infantil.

11 – BIBLIOGRAFIA:

COSLWSKY, S. Gravidez – da concepção ao parto. Como chegar a um bebê sadio. 2a edição. RJ: Editora Bloch, 1986.
LINS, F. E. O Parto Natural. RJ: Editora Bloch, 1983.
PIZZATO, M. G. & POIAN, V. L. Enfermagem Neonatológica. Porto Alegre, D. C. Luzzato Editores, 1985.
ZIEGEL, E. & CRANLEY. Enfermagem Obstétrica. 7a edição. Rio de Janeiro: Ed. Interamericana, 1980.


SR-1
CEG

FORMULÁRIO CEG-03
Disciplina

CENTRO: DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
UNIDADE: ESCOLA DE ENFERMAGEM ANNA NERY

Folha n0:
Data: 04/03/1997

1 – NOME

2 – CÓDIGO

3 – IDENTIFICAÇÃO

DIAGNÓSTICO SIMPLIFICADO DE SAÚDE V

ENWX05

 

4 – Carga Horária por Período:

5 – CRÉDITOS:

6 – REQUISITOS:

Variável – mínimo de 30 horas

0,0

ENWX03 (P)     ENWX04 (C)

7 – CARACTERÍSTICAS DAS AULAS PRÁTICAS:

Discussão em grupo sobre problemas emergentes com base no diagnóstico da ambiência ou da situação de saúde dos clientes. Instrução de reforço sobre aplicação da metodologia científica. Orientação sobre análise e interpretação de resultados. Discussão sobre as sugestões dos estudantes.

8 – CURSOS PARA OS QUAIS É OFERECIDA:

ENFERMAGEM E OBSTETRÍCIA

9 – OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA:

Adquirir conhecimentos para a identificação de problemas pertinentes aos estudos que interessam a família em processo de reprodução. Descrever a relevância científica e a justificação social do estudo ou da investigação em causa. Analisar os dilemas do planejamento familiar com base na revisão de literatura. Apresentar sugestões para a implementação de assistência à clientela assistida.

10 – EMENTA:

Os problemas nos estudos que interessam à família em processo de reprodução. A questão da relevância científica e social. Dilemas do planejamento familiar. Revisão de literatura. Processo e teorias de enfermagem. Resultados e implementação das assistências – apresentação de sugestões.

11 – BIBLIOGRAFIA:

RUDIO, F. V. Introdução ao Projeto de Pesquisa. 14a edição, Petrópolis: Editora Vozes, 1989.
LAKATOS, E. M. & MARCONI, M. A. Fundamentos de Metodologia Científica. São Paulo: Atlas, 1985.


SR-1
CEG

FORMULÁRIO CEG-03
Disciplina

CENTRO: DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
UNIDADE: ESCOLA DE ENFERMAGEM ANNA NERY

Folha n0:
Data: 04/03/1997

1 – NOME

2 – CÓDIGO

3 – IDENTIFICAÇÃO

EPIDEMIOLOGIA

ENS242

 

4 – Carga Horária por Período:

5 – CRÉDITOS:

6 – REQUISITOS:

T: 15                    P: 30                         T + P: 45

2,0

ENW231 (P)

7 – CARACTERÍSTICAS DAS AULAS PRÁTICAS:

Expositivas dialogadas, seminários, leitura e discussão de textos.

8 – CURSOS PARA OS QUAIS É OFERECIDA:

ENFERMAGEM E OBSTETRÍCIA

9 – OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA:

Levar o acadêmico(a) de enfermagem a discutir o enfoque epidemiológico na atualidade.

10 – EMENTA:

Estudos dos princípios de epidemiologia e da aplicação do método científico na investigação dos problemas de saúde da comunidade. Identificação da ocorrência e distribuição das doenças em grupos susceptíveis da população e sua contribuição para a solução dos problemas de saúde de uma programática.

11 – BIBLIOGRAFIA:

ROUQUAYROL, Maria Zélia. Epidemiologia & Saúde. Rio de Janeiro: Medsi, 1987.

UFRJ EEAN - Escola de Enfermagem Anna Nery
Desenvolvido por: TIC/UFRJ