SR-1
CEG

FORMULÁRIO CEG-03
Disciplina

CENTRO: DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
UNIDADE: ESCOLA DE ENFERMAGEM ANNA NERY

Folha n0:
Data: 04/03/1997

1 – NOME

2 – CÓDIGO

3 – IDENTIFICAÇÃO

ENFERMAGEM EM MICRO-REGIÃO DE SAÚDE

ENW481

 

4 – Carga Horária por Período:

5 – CRÉDITOS:

6 – REQUISITOS:

T: 30                    P: 30                         T + P: 60

3,0

ENW471 (P)     ENW472 (P)      ENW488 (C)

7 – CARACTERÍSTICAS DAS AULAS PRÁTICAS:

Discussão sobre estratégias para o diagnóstico de saúde de uma micro-região. Dados secundários da população. Dados administrativos das instituições e levantamento domiciliar da comunidade. Classificação e relação das informações necessárias para o diagnóstico de saúde da micro-região.

8 – CURSOS PARA OS QUAIS É OFERECIDA:

ENFERMAGEM E OBSTETRÍCIA

9 – OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA:

Definir micro-região de saúde. Identificar as características de uma região programática. Analisar a estrutura organizacional de saúde nos diversos níveis de ação governamental. Identificar os fatores que determinam a saúde da comunidade. Selecionar indicadores de avaliação.

10 – EMENTA:

A saúde da comunidade em regiões metropolitanas. A micro-região como unidade de trabalho. Conceitos e características de uma micro-região. Estrutura do setor saúde. Fatores que determinam a saúde da comunidade. Indicadores de avaliação. Avaliação de cobertura. A história da enfermagem e a participação da enfermeira no processo de planejamento de saúde e na administração de serviços de saúde e de enfermagem.

11 – BIBLIOGRAFIA:

FERRARA, ACEBAL & PEZANINI. Medicina de la comunidad. Buenos Aires: Editora Interamericana, 1972.
FLESHMAN, Archer. Enfermeria de la salud comunitaria. OPS/OMS, 1977.
HANLON, J. John. Princípios de Administración Sanitária. La Prensa Médica, 1973.
OPS/OMS. Enfermería y la salud de la comunidad. Inc. Tec., 1974.


SR-1
CEG

FORMULÁRIO CEG-03
Disciplina

CENTRO: DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
UNIDADE: ESCOLA DE ENFERMAGEM ANNA NERY

Folha n0:
Data: 04/03/1997

1 – NOME

2 – CÓDIGO

3 – IDENTIFICAÇÃO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE ENFERMAGEM F

ENWU12

 

4 – Carga Horária por Período:

5 – CRÉDITOS:

6 – REQUISITOS:

T: 00                    P: 45                         T + P: 45

1,0

ENWU10 (P)     ENWU11 (P)      ENWU16 (C)

7 – CARACTERÍSTICAS DAS AULAS PRÁTICAS:

Estudo de micro-região. Entrevistas dos estudantes com os dirigentes das instituições e líderes da comunidade. Discussão sobre os instrumentos de coleta de dados. Reformulação dos instrumentos. Levantamento dos dados necessários para o diagnóstico. Análise e discussão dos resultados. Elaboração do plano de intervenção.

8 – CURSOS PARA OS QUAIS É OFERECIDA:

ENFERMAGEM E OBSTETRÍCIA

9 – OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA:

Selecionar uma área programática para diagnóstico de saúde. Contatar líderes da comunidade e dirigentes das instituições de saúde. Aplicar os instrumentos de coleta de dados. Aplicar os instrumentos de coleta de dados. Apurar, analisar e discutir os resultados. Identificar as situações-problema. Elaborar e encaminhar o plano de intervenção.

10 – EMENTA:

Seleção de uma micro-região de saúde. Estudo da viabilidade do diagnóstico de saúde da área programática. Seleção das informações necessárias. Indicadores de nível de vida, sócio-econômico, de nível de saúde e de prestação de serviço; soluções alternativas de problemas de saúde com base na prevalência, gravidade, custos e atitude da comunidade.

11 – BIBLIOGRAFIA:

 


SR-1
CEG

FORMULÁRIO CEG-03
Disciplina

CENTRO: DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
UNIDADE: ESCOLA DE ENFERMAGEM ANNA NERY

Folha n0:
Data: 04/03/1997

1 – NOME

2 – CÓDIGO

3 – IDENTIFICAÇÃO

DIAGNÓSTICO DE MICRO-REGIÃO DE SAÚDE

ENWX12

 

4 – Carga Horária por Período:

5 – CRÉDITOS:

6 – REQUISITOS:

Variável, mínimo de 30 horas

0,0

ENWX10 (P)     ENWX11 (P)       ENWX16 (C)

7 – CARACTERÍSTICAS DAS AULAS PRÁTICAS:

Discussão da problemática relativa à relação de uma área programática para o diagnóstico simplificado de saúde. Montagem de um projeto de diagnóstico de saúde de uma micro-região. Conceituação de indicadores específicos para o diagnóstico de saúde da comunidade e de instituições de saúde. Estudo e elaboração de instrumentos de coleta de dados.

8 – CURSOS PARA OS QUAIS É OFERECIDA:

ENFERMAGEM E OBSTETRÍCIA

9 – OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA:

Conceituar plano, programa e projeto de saúde. Identificar uma situação problema. Definir os objetivos do estudo. Selecionar dados para a elaboração do diagnóstico de saúde. Estabelecer estratégias de execução, acompanhamento e avaliação.

10 – EMENTA:

Programas e projetos em saúde. Proposta de solução de problemas emergentes de saúde de uma micro-região. Objetivos e justificativa do estudo. Pressupostos conceituais. Amplitude e delimitação da área programática. Estratégia de execução. Cronograma, acompanhamento e controle. Avaliação.

11 – BIBLIOGRAFIA:

BASTOS, Lilia Rocha et alli. Manual para elaboração de projetos e relatórios de pesquisa, teses e dissertações. Rio de Janeiro: Zahar, 1979.
MAURO, Maria Ivone Chaves. Método de Projetos em Enfermagem de Saúde Pública – uma estratégia de integralização de ensino-aprendizagem. Tese/UFRJ, 1982.


SR-1
CEG

FORMULÁRIO CEG-03
Disciplina

CENTRO: DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
UNIDADE: ESCOLA DE ENFERMAGEM ANNA NERY

Folha n0:
Data: 04/03/1997

1 – NOME

2 – CÓDIGO

3 – IDENTIFICAÇÃO

O PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM E OS SERVIÇOS DE SAÚDE

ENW488

 

4 – Carga Horária por Período:

5 – CRÉDITOS:

6 – REQUISITOS:

T: 45                    P: 30                         T + P: 75

4,0

ENW471 (P)      ENW472 (P)       ENW481 (C)

7 – CARACTERÍSTICAS DAS AULAS PRÁTICAS:

Discussão sobre o sistema hospitalar brasileiro, unidades básicas de saúde e maternidades. Instrução sobre atividades de enfermagem face aos modelos assistenciais. Orientação sobre a utilização da tecnologia sofisticada e as implicações para o cliente e a enfermagem. Uso da informática.

8 – CURSOS PARA OS QUAIS É OFERECIDA:

ENFERMAGEM E OBSTETRÍCIA (Registro nos Departamentos de: Enfermagem Materno-Infantil, Metodologia da Enfermagem, Enfermagem Fundamental, Enfermagem em Saúde Pública, Enfermagem Médico-Cirúrgica).

9 – OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA:

Refletir acerca dos serviços de saúde que devem estar integrados a política de saúde vigente. Adquirir conhecimento acerca de cuidados progressivos para que a assistência à clientela seja no âmbito de Unidades de Internação, semi-Internação, cuidados básicos de reabilitação (psico-físico-social); atendimento em casa.

10 – EMENTA:

Estuda conteúdos de Administração e Gerência de Serviços de Saúde; política pública de saúde; são privilegiados aspectos relacionados à administração do processo de trabalho da enfermagem em hospitais gerais, ambulatórios, unidades básicas e maternidades.

11 – BIBLIOGRAFIA:

ERDMANN, Alacoque Lorenzini & DALL’AGNOL, Clarice Maria. Repensando o Ensino de Administração da Formação do Enfermeiro. Texto e Contexto, Enf. V. 3, n. 2, p. 24-28 jul/dez, 1994.
FIGUEIREDO, Nébia M. A. de; FRANCISCO, Márcio Tadeu; SILVA, Ilda Cecília M. da. (Trans) cuidar: (Re)vistando à Administração de Taylor – “Um outro paradigma”. Rio de Janeiro: Instituto Dr. Lourival Martins Beda, 1996.
TREVIZAN, Maria Auxiliadora. Enfermagem Hospitalar: Administração & Burocracia. Brasília: Editora UNB, 1988.


SR-1
CEG

FORMULÁRIO CEG-03
Disciplina

CENTRO: DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
UNIDADE: ESCOLA DE ENFERMAGEM ANNA NERY

Folha n0:
Data: 04/03/1997

1 – NOME

2 – CÓDIGO

3 – IDENTIFICAÇÃO

TEMAS EMERGENTES DA PRÁTICA PROFISSIONAL

ENW485

 

4 – Carga Horária por Período:

5 – CRÉDITOS:

6 – REQUISITOS:

T: 30                    P: 30                         T + P: 60

3,0

ENW471 (P)     ENW472(P)

7 – CARACTERÍSTICAS DAS AULAS PRÁTICAS:

Discussão em grupo sobre o marco conceitual da formação do enfermeiro. Análise e interpretação sobre os termos do compromisso social do enfermeiro. Apreciação crítica sobre modelos assistenciais. Discussão com definição de posicionamentos baseados no contexto de grupo sobre a problemática da prática de enfermagem. painel de debates sobre os desafios e as tendências de enfermagem.

8 – CURSOS PARA OS QUAIS É OFERECIDA:

ENFERMAGEM E OBSTETRÍCIA

9 – OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA:

Fazer análise crítica do marco conceitual que orienta a formação do enfermeiro em nível de graduação. Discutir os termos do compromisso social do enfermeiro face ao contexto da prática profissional. Analisar modelos assistenciais desenvolvidos ou exeqüíveis na prática, nas diferentes áreas da atuação profissional. Reconhecer a situação e as tendências atuais da enfermagem na sociedade brasileira, levando em conta os fatos históricos.

10 – EMENTA:

Marco conceitual da formação do enfermeiro. Compromisso social do enfermeiro. Problemática da prática profissional. Modelos assistenciais. A enfermagem e os serviços básicos de saúde. Os desafios da enfermagem na época atual. Tendências da enfermagem brasileira. A história da enfermagem e a participação da enfermeira no processo de planejamento de saúde e na administração de serviços de saúde e de enfermagem.

11 – BIBLIOGRAFIA:

CARVALHO, Vilma de. Sobre o projeto para aplicação de uma nova metodologia ao processo ensino-aprendizagem – uma experiência de mudança curricular da EEAN/UFRJ. XXXIV CBEn, POA, 1982.
CASTRO, Ieda Barreira et alli. Ações educativas para o autocuidado, o autocuidado relevância do conceito e seus níveis. Apostila.
OLIVEIRA, Maria Ivete Ribeiro de. O enfermeiro e a enfermagem. anais XXXIII CBEn, Manaus, 1981.
PAIM, Lígia. Questões e mitos acerca de modelos de assistência de enfermagem. anais do XXXI CBEn, Fortaleza, 1975.


SR-1
CEG

FORMULÁRIO CEG-03
Disciplina

CENTRO: DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
UNIDADE: ESCOLA DE ENFERMAGEM ANNA NERY

Folha n0:
Data: 04/03/1997

1 – NOME

2 – CÓDIGO

3 – IDENTIFICAÇÃO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO DE ENFERMAGEM G

ENWU16

 

4 – Carga Horária por Período:

5 – CRÉDITOS:

6 – REQUISITOS:

T: 00                  P: 315                      T + P: 315

7,0

ENWU10 (P)     ENWU11 (P)       ENWU12 (C)

7 – CARACTERÍSTICAS DAS AULAS PRÁTICAS:

Discussão sobre a saúde da população específica da comunidade. Discussão sobre o repensar da atuação da enfermeira em ações de vigilância epidemiológica – área de saúde coletiva. Levar acadêmicas(os) a contribuírem para a transformação das práticas de enfermagem.

8 – CURSOS PARA OS QUAIS É OFERECIDA:

ENFERMAGEM E OBSTETRÍCIA

9 – OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA:

Identificar os problemas e as necessidades básicas de saúde da população com enfoque epidemiológico e sócio-econômico. Desenvolver ações básicas de vigilância epidemiológica. Mobilizar a clientela para uma participação efetiva na programação da saúde e nos Conselhos Municipais de Saúde.

10 – EMENTA:

Programa de Políticas Públicas de Saúde. Identificar os problemas e as necessidades básicas de saúde da população com enfoque epidemiológico e sócio-econômico. Desenvolver ações básicas de vigilância epidemiológica como notificação de casos, proteção de grupos susceptíveis e divulgação de medidas preventivas adequadas.

11 – BIBLIOGRAFIA:

ALMEIDA, M. C. P., de & ROCHA, J. S. Y. O saber da enfermagem e sua dimensão prática. São Paulo: Cortez, 1989.
CORDEIRO, Hésio. Saúde e trabalho no Brasil. 2a edição. Petrópolis: Vozes, 1983.
FONSECA, Rosa Maria G. S. da. A vigilância epidemiológica no contexto teórico-metodológico da epidemiologia social. Texto e contexto em enfermagem. V. 3, n. 2, p. 58-79, jul/dez, 1994.
ROUQUAYROL, M. Z. Epidemiologia e Saúde. Rio de Janeiro: MEDSI, 1998.


SR-1
CEG

FORMULÁRIO CEG-03
Disciplina

CENTRO: DE CIÊNCIAS DA SAÚDE
UNIDADE: ESCOLA DE ENFERMAGEM ANNA NERY

Folha n0:
Data: 04/03/1997

1 – NOME

2 – CÓDIGO

3 – IDENTIFICAÇÃO

ESTUDO DE PROBLEMAS EMERGENTES DA PRÁTICA PROFISSIONAL

ENWX16

 

4 – Carga Horária por Período:

5 – CRÉDITOS:

6 – REQUISITOS:

Variável, mínimo de 30 horas

0,0

ENWX10 (P)     ENWX11 (P)       ENWX12 (C)

7 – CARACTERÍSTICAS DAS AULAS PRÁTICAS:

Discussão sobre questões que interessam aos estudos de enfermagem. Análise de situações práticas e dificuldades encontradas. Orientação sobre definição de assuntos para estudo ou investigação e elaboração de projeto. Apresentação de relatório com interpretação dos dados. Discussão e avaliação dos dados encontrados.

8 – CURSOS PARA OS QUAIS É OFERECIDA:

ENFERMAGEM E OBSTETRÍCIA

9 – OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA:

Adquirir conhecimentos para a participação efetiva nos estudos ou investigações que interessam aos caminhos e avanços da enfermagem. Desenvolver habilidades consistentes com o desempenho de atividades no âmbito da construção da gradação de conhecimentos. Ganhar experiência coerente com a contribuição ao desenvolvimento científico e tecnológico.

10 – EMENTA:

Estudos de enfermagem – tipos, características. Problemas e dificuldades no contexto da prática. Temas para estudo ou investigação. O corpo de conhecimentos de enfermagem. Caminhos da construção científica. Elaboração de projeto e apresentação de relatório. Discussão de resultados.

11 – BIBLIOGRAFIA:

ASTIVERA, Armando. Metodologia da pesquisa científica. POA: Globo, 1976.
FLEGNER, Atila Jozsef & DIAS, J. Carlos. Pesquisa e metodologia. Rio de Janeiro: Ministério do Exército, 1995.
MINAYO, Maria Cecília & SANCHES, Odécio. Quantitativo – qualitativo: oposição ou complementaridade. Caderno de Saúde Pública. V. 9, n. 3, p. 239-262, jul/set, 1993.
TRIVINOS, Augusto N. S. Introdução à pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Atlas, 1987.

UFRJ EEAN - Escola de Enfermagem Anna Nery
Desenvolvido por: TIC/UFRJ