Estrutura Curricular

A nova estrutura do currículo resolve-se em cinco (5) etapas (Quadro 7A/E). Essas etapas foram delineadas de tal forma que o foco central é sempre o trabalho na comunidade, variando apenas as situações-problema enfrentadas pelos estudantes e os desempenhos de papéis apropriados aos cenários, ao tipo da atividade e aos co-participantes da assistência, bem como os aspectos distintivos das experiências selecionadas.
Como se pode observar, as várias formas de atuação visam ao domínio de competências que levem gradativamente ao alcance dos objetivos terminais, sendo uma constante a aplicação do método científico a situações cada vez mais complexas, como elemento da integração horizontal. As variações nas diferentes etapas, por sua vez, são determinadas pelas variações nos elementos de integração vertical presentes no esquema conceitual, base da nova estruturação.
As clientelas assistidas apresentam, inicialmente, um grau mínimo de dificuldade: coletividades sadias de crianças, adolescentes e adultos. A seguir, a atuação passa a efetuar-se em serviços de saúde, a princípio junto a pessoas não hospitalizadas e nas famílias sadias ou com desequilíbrios no seu estado de saúde, depois a pessoas sadias hospitalizadas (parturientes, recém-nascidos e puérperas). A assistência a pessoas hospitalizadas e nas famílias desenvolve-se em um nível de complexidade crescente. A assistência às pessoas com dificuldades especiais de integração, devido a problemas de ordem psico-biológica, psicosocial ou psico-espiritual, foi situada na fase terminal do curso devido às habilidades especiais necessárias ao estabelecimento de uma integração positiva.
O último período é dedicado novamente à saúde da comunidade, primeiro com uma introdução ao processo de planejamento de saúde aplicado a uma micro-região de saúde e, finalizando com a ajuda dos estudantes na implementação dos programas prioritários que estejam necessitando de reforço, de modo a que suas metas possam ser atingidas. Assim, o currículo se culmina com a vivência do cumprimento do compromisso inicial.


COMPETÊNCIAS A SEREM ALCANÇADAS PELOS ESTUDANTES DE ENFERMAGEM DA ESCOLA DE ENFERMAGEM ANA NERI

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

Como elementos orientadores das demais decisões curriculares procurou-se estabelecer as competências gerais a serem alcançadas pelo estudante. Elas refletem o posicionamento filosófico da Escola e delineiam os perfis do estudante que sai do ciclo pré-profissional e do graduado pretendido.

 

Foram, pois, definidos dois níveis de competência: as que devem ser alcançadas ao término do ciclo pré-profissional, que funcionam como pré-requisito para o ingresso no ciclo profissional, e aquelas a serem alcançadas ao término do curso de graduação, que capacitam ao exercício profissional consciente e servem de base ao aperfeiçoamento contínuo e progressivo.

AO TÉRMINO DO CICLO

PRÉ-PROFISSIONAL

AO TÉRMINO DO CURSO DE
GRADUAÇÃO

  • Perceber que o direito que toda a pessoa tem à saúde, implica o direito de receber adequada assistência de profissionais de saúde.
  • Evidenciar condutas coerentes com o princípio de que o direito que toda pessoa tem à saúde implica o direito de receber adequada assistência de enfermagem.
  • Analisar a inter-relação dos fatores físicos, psíquicos, sociais e ambientais na saúde individual e coletiva.
  • Avaliar a inter-relação dos fatores físicos, psíquicos, sociais e ambientais na saúde individual e coletiva.
  • Reconhecer que a equipe de saúde é responsável pela melhoria do nível de saúde das coletividades.
  • Manifestar atitudes que revelem a convicção de que, como membro da equipe de saúde, a enfermeira é responsável pela melhoria do nível de saúde da população.
  • Aplicar a metodologia científica nas situações que envolvem ajuda a grupos da comunidade.
  • Desenvolver o processo de enfermagem nas situações que envolvem ajuda a indivíduos, a família, a outros grupos da comunidade e a comunidade como um todo.


AO TÉRMINO DO CICLO

PRÉ-PROFISSIONAL

AO TÉRMINO DO CURSO DE
GRADUAÇÃO

  • Colaborar na tomada de decisões com base na utilização do método de resolução de problemas.
  • Tomar decisões com base na utilização do método de resolução de problemas.
  • Reconhecer a necessidade de assumir atitude responsável frente aos valores da Escola, da Universidade e das Associações de Classe.
  • Assumir atitude responsável frente aos fins e aos valores da Escola, da Universidade e das Associações de Classe.
  • Participar da equipe de trabalho de coletividades sadias.
  • Participar de equipe micro-regional de saúde.
  • Comunicar-se de modo a estabelecer relações interpessoais produtivas.
  • Estabelecer relações interpessoais produtivas.

Histórico e Situação

O processo que culminou a colaboração da proposta de reformulação do currículo mínimo para a formação do enfermeiro foi sistematicamente programado e executado. Contou com a participação das Escolas de Enfermagem de todas as regiões do país (professores, alunos, ex-alunos e enfermeiros dos serviços de saúde); com as entidades de enfermagem (ABEn, Federação e Sindicato) e com os Conselhos Federal/Regional de Enfermagem. Formalmente iniciou com 04 (quatro) seminários (Região Norte, Nordeste; Região Sul; Região Centro-Oeste e Sudeste) objetivando “caracterizar a situação do ensino de graduação em Enfermagem por região e apresentar alternativas para os problemas identificados”. Tais seminários ocorreram no período de setembro de 1986 a setembro de 1987, e seus resultados foram consolidados e analisados em um Seminário Nacional em outubro de 1987, no Rio de Janeiro. Desta etapa resultaram pontos comuns e postulados gerais, que subsidiaram o trabalho posterior e foram contemplados na proposta de formação do enfermeiro que tramitava no Conselho Federal de Educação. Realizou-se também um Seminário Nacional sobre “perfil e competência do enfermeiro”, seguido de 04 (quatro) outros seminários regionais sobre os mesmos aspectos.
O processo da proposta de currículo mínimo para graduação do enfermeiro tramitou no Conselho Federal de Educação de 1991 a 1994, quando foi aprovado com alterações em reunião de 06 de abril de 1994 (Parecer n 0 314/94, Portaria 1.721, de 15.12.94 – Anexos).
Em 1995 a Diretora da Escola de Enfermagem Anna Nery constituiu o grupo de trabalho (GT) – Portaria n 0 36/95 – BUFRJ (Anexa) – para proceder às modificações curriculares compatibilizando, assim, o Parecer 57/83 – Currículo “Projeto Novas Metodologias” ao Parecer 314/94 – Currículo Mínimo dos Cursos de Graduação em Enfermagem.
O GT entendeu que o currículo “Projeto Novas Metodologias”, por ser pioneiro no Brasil e propor que o enfermeiro que se deseja formar é o que possa ter, durante a graduação, oportunidades essenciais ao crescimento profissional contínuo, cujo acontecer se dá, em parte através do gradativo domínio de competência apropriada à tomada de decisões, concernentes a sua posição, direitos e prerrogativas como profissional da saúde. Competências essas, não só compatíveis com a prática profissional, mas favorável também à educação continuada, recurso que poderá ajudar na superação de dificuldades quanto às mudanças e ao futuro (Carvalho e Castro, 1979). E considerando as demandas e necessidades de saúde prevalentes e prioritárias da população, conforme o quadro epidemiológico do país e região.
Contemplou sempre, as justificativas sobre a proposta de reformulação do currículo mínimo para a formação do enfermeiro. Desse modo, o GT encaminhou para que fizesse apenas um reajuste do Parecer 57/83 currículo “Projeto Novas Metodologias” ao Parecer 314/94 – incluindo alguns conteúdos, reajustando o nome de algumas disciplinas isoladas e suprimindo as habilitações do último período (8 0), deixando um único Programa Curricular Interdepartamental.

Pontos a serem observados para o reajuste

No Curso de Graduação em Enfermagem da Escola de Enfermagem Anna Nery, o Currículo Pleno será executado na razão de 4.390 horas para um total de 202 créditos, sendo 10 créditos de disciplinas complementares, com uma carga horária semanal de 28 a 30 horas. A integralização curricular mínima é efetivada em oito (8) períodos de aulas, média dez (10) períodos e máximo doze (12) períodos – inclusive atende a Portaria 314/94.
Será conferido o Grau de Bacharel em Enfermagem e expedido o diploma de Enfermeiro ao aluno que tiver um total de 202 créditos, sendo 10 créditos de disciplinas complementares de escolha condicionada. Ainda disciplinas obrigatórias do Ciclo Básico 855 horas – 41 créditos, obrigatórias que complementam o conhecimento do Ciclo Profissional 510 horas – 34 créditos; obrigatórios Programas Curriculares Interdepartamentais (PCIs) e seus estágios supervisionados de enfermagem 3.01 – 90 créditos.
Requisito Curricular Suplementar 1.395 horas – 27 créditos.
Fazem parte do currículo as disciplinas complementares de escolha condicionada, perfazendo 645 horas – 38 créditos.
O conhecimento de Semiologia e Semiotécnica já vem sendo ministrado a partir do Programa Curricular Interdepartamental I (PCI) ao PCI XIII, sendo que os conteúdos teóricos e teórico-práticos vão aprofundando em grau de complexidade, de acordo com a clientela assistida.
A carga horária de 15% referente à Administração em Enfermagem, já é ministrada e está distribuída em todos os trezes (13) Programas Curriculares Interdepartamentais, com maior quantidade de horas no PCI XIII, que contempla a assistência de enfermagem à clientela assistida.
A carga horária de 15% referente à Administração em Enfermagem, já é ministrada e está distribuída em todos os trezes (13) Programa Curriculares Interdepartamentais, com maior quantidade de horas no PCI XIII, que contempla a assistência de baixa e média complexidade, foram gradativamente integrados a partir do PCI I.
As disciplinas IPG171 – Psicologia Geral – 60 horas, 04 créditos e IPP251 – Psicologia do Desenvolvimento – 60 horas, 04 créditos, serão substituídas pela Psicologia Aplicada à Saúde, com 60 horas, 04 créditos, primeiro período.
Nutrição A (INN303) – 30 horas, 02 créditos, INN503 – Nutrição Infantil – 30 horas, 02 créditos e INN308 – Fundamentos de Dietoterapia, 30 horas, 02 créditos, foram substituídas por INN230 – Nutrição Aplicada à Enfermagem – 60 horas, 04 créditos.
As disciplinas FMG482 – Obstetrícia I e FMG592 – Obstetrícia II, sendo cada uma com 15 horas teóricas e 01 crédito, serão substituídas pela disciplina ENI241 – Gineco-Obstetrícia, com 15 horas teóricas, 01 crédito.
Os conteúdos de Biofísica sempre foram ministrados na disciplina BMB203 – Fisiologia A – 120 horas, 06 créditos; ficou BMB121 – Fisiologia e Biofísica A – 120 horas, 06 créditos.
A disciplina MAD231 – Estatística – 60 horas, 04 créditos foi suprimida, ficando apenas Bioestatística – 60 horas, 04 créditos no segundo período.
Nas Ciências Humanas teremos além da Sociologia, Psicologia Aplicada à Saúde, a disciplina FCA218 – Antropologia Cultural – 60 horas, 04 créditos (permaneceu do currículo Parecer 57/83), incluímos Introdução à Filosofia – 60 horas, 04 créditos, no sétimo período.
Quanto a Metodologia Científica há uma disciplina complementar de escolha condicionada, este conhecimento inicia, também, no primeiro período com o Diagnóstico Simplificado de Saúde I, os conteúdos teóricos são ministrados em todos os períodos, culminando com uma monografia de conclusão de curso.
O Estágio Curricular Supervisionado é desenvolvido em todos os Programas Curriculares Interdepartamentais, sendo que, do PCI I ao XI cada um tem 90 horas de carga horária, no PCI XIII – 45 horas e no PCI XIII – 360 horas.
 A formação pedagógica é oferecida pela Faculdade de Educação, regularmente após a colação de grau em Enfermagem, para o que se exige manutenção de vínculo com a UFRJ. O enfermeiro faz jus ao diploma de Licenciatura em Enfermagem e ao registro de Professor no MEC para o exercício docente nas disciplinas de Higiene, Programas de Educação para Saúde no ensino de primeiro e segundo graus e das disciplinas de enfermagem nos cursos de Auxiliar e Técnico de Enfermagem.
Na EEAN o recém graduado pode submeter-se a seleção do Curso de Pós-Graduação – nível Mestrado, ainda te a opção da Residência de Enfermagem nos diversos hospitais do Rio de Janeiro.
O registro do currículo (Parecer 314/94 CFE) será implantado a partir de 1997/2.
Os alunos ingressantes no segundo semestre de 1997, independente da modalidade (vestibular, transferência “ex-ofício”, reingresso, convênio cultural ou mudança de curso), deverão inserir no currículo já reajustado (Parecer 314/94).

A jurisprudência já firmada determina que somente os alunos do último período do curso podem ficar isentos de se adaptarem ao reajuste do currículo pleno – Parecer 314/94 (Documento 368, p. 15, Brasília, 1991).

ESTRUTURA CURRICULAR PARA FINS DE COMPATIBILIZAÇÃO DE CURRÍCULOS
NAS TRANSFERÊNCIAS OU REABERTURA DE MATRÍCULAS TRANCADAS
Por Maria Tereza Coimbra de Carvalho e Maria José Coelho

IMPLANTADO NA DRE A PARTIR DE 1984/2 0 PERÍODO

IMPLANTADO NA DRE A PARTIR DE 1984/2 0 PERÍODO

CURRÍCULO NOS TERMOS DOS PARECERES 57/83 – CFE COMPATIBILIZADO COM O PARECER 314/94

CURRÍCULO NOS TERMOS DO PARECER 314/94

Programa

Curricular

Código

Nome do PCI

Crédito

Nome da Disciplina

Crédito

 

ENW111

A Criança, a Escola e Eu

3,0

Bioestatística

4,0

I

ENWU01

 

2,0

Saúde Ambiental

3,0

 

ENWX01

 

Grau

 

 
 

ENW121

A Saúde dos Jovens e Eu

3,0

Antropologia Filosófica

4,0

II

 

 

2,0

Sociologia

4,0

   

 

Grau

 

 
 

ENW231

A Saúde das Pessoas que Trabalham

3,0

História da Enfermagem

3,0

III

 

 

2,0

Semiologia e Semiotécnica de Enfermagem

4,0

   

 

Grau

 

 
 

ENW241

Enfermagem nos Cuidados Básicos de Saúde

5,0

Epidemiologia

4,0

IV

 

 

2,0

 

 
   

 

Grau

 

 
 

ENW242

Cuidados de Enfermagem à Família Expectante

5,0

Exercício de Enfermagem (Ética)

3,0

V

 

 

2,0

Biologia (Embriologia)

2,0

   

 

Grau

 

 


ESTRUTURA CURRICULAR PARA FINS DE COMPATIBILIZAÇÃO DE CURRÍCULOS
NAS TRANSFERÊNCIAS OU REABERTURA DE MATRÍCULAS TRANCADAS
Por Maria Tereza Coimbra de Carvalho e Maria José Coelho

IMPLANTADO NA DRE A PARTIR DE 1984/2 0 PERÍODO

IMPLANTADO NA DRE A PARTIR DE 1984/2 0 PERÍODO

CURRÍCULO NOS TERMOS DOS PARECERES 57/83 – CFE COMPATIBILIZADO COM O PARECER 314/94

CURRÍCULO NOS TERMOS DO PARECER 314/94

Programa

Curricular

Código

Nome do PCI

Crédito

Nome da Disciplina

Crédito

 

ENW351

Cuidados de Enfermagem à Família com Problemas de Saúde

5,0

Clínicas: Introdução aos procedimentos técnicos, básicos da enfermagem.

5,0

VI

 

 

2,0

Exercício de Enfermagem (Legislação)

3,0

   

 

Grau

 

 
 

ENW352

Cuidados de Enfermagem à Cliente Hospitalizado I

5,0

Clínicas: Metodologia da Assistência de Enfermagem (Teoria e Prática)

7,0

VII

 

 

2,0

 

 
   

 

Grau

 

 
 

ENW361

Cuidados de Enfermagem à Cliente Hospitalizado II

5,0

Cirúrgicas: Teoria e Prática

7,0

VIII

 

 

2,0

 

 
   

 

Grau

 

 
 

ENW362

Cuidados de Enfermagem à Cliente Hospitalizado III

5,0

Cirúrgicas: Teoria e Prática
Teoria e Prática de Emergência e UTI

7,0

IX

 

 

2,0

 

 
   

 

Grau

 

 

ESTRUTURA CURRICULAR PARA FINS DE COMPATIBILIZAÇÃO DE CURRÍCULOS
NAS TRANSFERÊNCIAS OU REABERTURA DE MATRÍCULAS TRANCADAS
Por Maria Tereza Coimbra de Carvalho e Maria José Coelho

IMPLANTADO NA DRE A PARTIR DE 1984/2 0 PERÍODO

IMPLANTADO NA DRE A PARTIR DE 1984/2 0 PERÍODO

CURRÍCULO NOS TERMOS DOS PARECERES 57/83 – CFE COMPATIBILIZADO COM O PARECER 314/94

CURRÍCULO NOS TERMOS DO PARECER 314/94

Programa

Curricular

Código

Nome do PCI

Crédito

Nome da Disciplina

Crédito

 

ENW471

Cuidados de Enfermagem a Pessoas em Processo de Reabilitação I

5,0

Teoria e Práticas Psiquiátricas
Saúde Mental

7,0
3,0

X

 

 

2,0

 

 
   

 

Grau

 

 
 

ENW472

Cuidados de Enfermagem a Pessoas em Processo de Reabilitação II

5,0

Teoria e Práticas de Deficiência Física

7,0

XI

 

 

2,0

 

 
   

 

Grau

 

 
 

ENW481

Enfermagem em Micro-Região de Saúde

3,0

Saúde Coletiva: Trabalho com Comunidades, Áreas Programáticas

5,0

XII

 

 

1,0

Metodologia Científica ou de Pesquisa

4,0

   

 

Grau

 

 
 

ENW485

Temas Emergentes da Prática Profissional

2,0

 

 


ESTRUTURA CURRICULAR PARA FINS DE COMPATIBILIZAÇÃO DE CURRÍCULOS
NAS TRANSFERÊNCIAS OU REABERTURA DE MATRÍCULAS TRANCADAS
Por Maria Tereza Coimbra de Carvalho e Maria José Coelho

IMPLANTADO NA DRE A PARTIR DE 1984/2 0 PERÍODO

IMPLANTADO NA DRE A PARTIR DE 1984/2 0 PERÍODO

CURRÍCULO NOS TERMOS DOS PARECERES 57/83 – CFE COMPATIBILIZADO COM O PARECER 314/94

CURRÍCULO NOS TERMOS DO PARECER 314/94

Programa

Curricular

Código

Nome do PCI

Crédito

Nome da Disciplina

Crédito

 

ENW486

O Profissional de Enfermagem e os Serviços de Saúde

7,0

 

 
 

ENWU16

Estágio Supervisionado de Enfermagem D

2,0

 

 
 

ENWX16

Estudos de Problemas Emergentes na Prática de Enfermagem D

Grau

Administração em Enfermagem
Saúde Coletiva

7,0
7,0

 

ENWU17

Estágio Supervisionado de Enfermagem E

2,0

Gineco-Obstetrícia

7,0

 

ENWX17

Estudos de Problemas Emergentes na Prática de Enfermagem E

Grau

 

 
 

ENWU18

Estágio Supervisionado de Enfermagem F

2,0

 

 
 

ENWX18

Estudos de Problemas Emergentes na Prática de Enfermagem F

Grau

 

 


ESTRUTURA CURRICULAR PARA FINS DE COMPATIBILIZAÇÃO DE CURRÍCULOS
NAS TRANSFERÊNCIAS OU REABERTURA DE MATRÍCULAS TRANCADAS
Por Maria Tereza Coimbra de Carvalho e Maria José Coelho

IMPLANTADO NA DRE A PARTIR DE 1984/2 0 PERÍODO

IMPLANTADO NA DRE A PARTIR DE 1984/2 0 PERÍODO

CURRÍCULO NOS TERMOS DOS PARECERES 57/83 – CFE COMPATIBILIZADO COM O PARECER 314/94

CURRÍCULO NOS TERMOS DO PARECER 314/94

Programa

Curricular

Código

Nome do PCI

Crédito

Código

Nome da Disciplina

Crédito

 

ENW111

A Criança, a Escola e Eu

3,0

ENS124

Saúde da Comunidade

3,0

I

ENWU01

Estágio Supervisionado de Enfermagem I

2,0

 

 

 
 

ENWX01

Diagnóstico Simplificado de Saúde I

Grau

 

 

 
 

ENW121

A Saúde dos Jovens e Eu

3,0

ENS137

Saneamento I

1,0

II

ENWU02

Estágio Supervisionado de Enfermagem II

2,0

ENE212

Introdução à Ciência da Enfermagem

3,0

 

ENWX02

Diagnóstico Simplificado de Saúde II

Grau

 

 

 
 

ENW231

A Saúde das Pessoas que Trabalham

3,0

ENS238

Epidemiologia

3,0

III

ENWU03

Estágio Supervisionado de Enfermagem III

2,0

 

 

 
 

ENWX03

Diagnóstico Simplificado de Saúde III

Grau

 

 

 
 

ENW241

Enfermagem nos Cuidados Básicos de Saúde

5,0

ENS533

Enfermagem de Saúde Pública I

7,0

IV

ENWU04

Estágio Supervisionado de Enfermagem IV

2,0

ENS237

Saúde Mental Aplicada à Enfermagem

3,0

 

ENWX04

Diagnóstico Simplificado de Saúde IV

Grau

ENC320

Enfermagem Médico-Cirúrgica I

2,0

 

ENW242

Cuidados de Enfermagem à Família Expectante

5,0

ENI431

Enfermagem Obstétrica I

7,0

V

ENWU05

Estágio Supervisionado de Enfermagem V

2,0

ENI430

Saúde Mental Aplicada à Enfermagem

3,0

 

ENWX05

Diagnóstico Simplificado de Saúde V

Grau

ENC519

Administração de Centro-Cirúrgico

2,0

ESTRUTURA CURRICULAR PARA FINS DE COMPATIBILIZAÇÃO DE CURRÍCULOS
NAS TRANSFERÊNCIAS OU REABERTURA DE MATRÍCULAS TRANCADAS
Por Maria Tereza Coimbra de Carvalho e Maria José Coelho

IMPLANTADO NA DRE A PARTIR DE 1984/2 0 PERÍODO

IMPLANTADO NA DRE A PARTIR DE 1984/2 0 PERÍODO

CURRÍCULO NOS TERMOS DOS PARECERES 57/83 – CFE COMPATIBILIZADO COM O PARECER 314/94

CURRÍCULO NOS TERMOS DO PARECER 314/94

Programa

Curricular

Código

Nome do PCI

Crédito

Código

Nome da Disciplina

Crédito

 

ENW351

Cuidados de Enfermagem à Família com Problemas de Saúde

5,0

ENE213

Fundamentos de Enfermagem

9,0

VI

 

 

2,0

ENM444

Didática Aplicada à Enfermagem

2,0

   

 

Grau

 

 

 
 

ENW352

Cuidados de Enfermagem à Cliente Hospitalizado I

5,0

ENC234

Enfermagem Cirúrgica

7,0

VII

 

 

2,0

ENI530

Enfermagem Ginecológica

3,0

   

 

Grau

 

 

 
 

ENW361

Cuidados de Enfermagem à Cliente Hospitalizado II

5,0

ENI427

Enfermagem Pediátrica

7,0

VIII

 

 

2,0

ENC321

Enfermagem em Doenças Transmissíveis

7,0

   

 

Grau

 

 

 
 

ENW362

Cuidados de Enfermagem à Cliente Hospitalizado III

5,0

ENC523

Unidade de Recuperação e Cuidados Intensivos

6,0

IX

 

 

2,0

ENM446

Administração Aplicada à Enfermagem

7,0

   

 

Grau

 

 

 

ESTRUTURA CURRICULAR PARA FINS DE COMPATIBILIZAÇÃO DE CURRÍCULOS
NAS TRANSFERÊNCIAS OU REABERTURA DE MATRÍCULAS TRANCADAS
Por Maria Tereza Coimbra de Carvalho e Maria José Coelho

IMPLANTADO NA DRE A PARTIR DE 1984/2 0 PERÍODO

IMPLANTADO NA DRE A PARTIR DE 1984/2 0 PERÍODO

 URRÍCULO NOS TERMOS DOS PARECERES 57/83 – CFE COMPATIBILIZADO COM O PARECER 314/94

CURRÍCULO NOS TERMOS DO PARECER 314/94

Programa

Curricular

Código

Nome do PCI

Crédito

Código

Nome da Disciplina

Crédito

 

ENW471

Cuidados de Enfermagem a Pessoas em Processo de Reabilitação I

5,0

ENC322

Enfermagem Psiquiátrica

7,0

X

 

 

2,0

ENM552

Introdução à Pesquisa de Enfermagem

2,0

   

 

Grau

ENM443

Exercício da Enfermagem

1,0

 

ENW472

Cuidados de Enfermagem a Pessoas em Processo de Reabilitação II

5,0

ENC323

Enfermagem Médica

7,0

XI

 

 

2,0

ENM442

Legislação e Deontologia Médica

2,0

   

 

Grau

 

 

 
 

ENW481

Enfermagem em Micro-Região de Saúde

3,0

ENS537

Saneamento II

2,0

XII

 

 

1,0

ENS534

Enfermagem de Saúde Pública II

4,0

   

 

Grau

 

 

 
 

ENW485

Temas Emergentes da Prática Profissional

2,0

 

 

 


ESTRUTURA CURRICULAR PARA FINS DE COMPATIBILIZAÇÃO DE CURRÍCULOS
NAS TRANSFERÊNCIAS OU REABERTURA DE MATRÍCULAS TRANCADAS
Por Maria Tereza Coimbra de Carvalho e Maria José Coelho

IMPLANTADO NA DRE A PARTIR DE 1984/2 0 PERÍODO

IMPLANTADO NA DRE A PARTIR DE 1984/2 0 PERÍODO

CURRÍCULO NOS TERMOS DOS PARECERES 57/83 – CFE COMPATIBILIZADO COM O PARECER 314/94

CURRÍCULO NOS TERMOS DO PARECER 314/94

Programa

Curricular

Código

Nome do PCI

Crédito

Código

Nome da Disciplina

Crédito

 

ENW486

O Profissional de Enfermagem e os Serviços de Saúde

7,0

ENI531
ENS535

Enfermagem Obstétrica I
Enfermagem de Saúde Pública II

3,0
9,0

 

ENWU16

Estágio Supervisionado de Enfermagem D

2,0

ENM546

Administração de Serviços de Enfermagem em Unidades de Saúde

4,0

 

ENWX16

Estudos de Problemas Emergentes na Prática de Enfermagem D

Grau

ENI531

Enfermagem Obstétrica II

3,0

 

ENWU17

Estágio Supervisionado de Enfermagem E

2,0

ENM547

Administração de Serviços de Enfermagem em Maternidades

4,0

 

ENWX17

Estudos de Problemas Emergentes na Prática de Enfermagem E

Grau

ENI532
ENI529

Enfermagem Obstétrica III
Enfermagem Neo-Natal

7,0
2,0

 

ENWU18

Estágio Supervisionado de Enfermagem F

2,0

ENC518

Enfermagem Médico-Cirúrgica III

2,0

 

ENWX18

Estudos de Problemas Emergentes na Prática de Enfermagem F

Grau

ENC528

Enfermagem Assistencial

8,0

   

 

 

ENM545

Administração de Serviços de Enfermagem Hospitalar

4,0

   

 

 

ENC520

Enfermagem em Pronto Socorro

4,0

CHRISTÓFARO, Maria Auxiliadora Córdova. Considerações da Associação Brasileira de Enfermagem sobre a proposta de reformulação do currículo mínimo para a formação do enfermeiro. REBEn, v. 46, n. ¾, p. 352-356, 1993.

CARVALHO, Vilma de & CASTRO, Ieda Barreira. Reflexões sobre a prática de enfermagem. Anais do XXXI CBEn. Fortaleza, 1979.

UFRJ EEAN - Escola de Enfermagem Anna Nery
Desenvolvido por: TIC/UFRJ